tibiotarsica





Tratar o Entorse da Tíbio – társica  à luz da Medicina Chinesa

Data, Local e Duração:

Duração: 15 horas de Formação. Oito horas em regime presencial, e 7 horas de estudo orientado através da plataforma de ensino à distância.

Local: A acção será efectuada em dois locais, no Porto, e em Rio Maior os formandos poderão escolher o que mais lhe convier.

  • Rio Maior, Escola Sup. de Desporto – IPSantarém, Sábado 3 de Junho das 10h00 às 13h00 e das 14h30 as 19h30

Destinatários

Especialistas em Medicina Tradicional Chinesa e Acupunctores, possuidores de cédula profissional. No caso de vagas disponíveis serão admitidos perante a análise do CV e por esta ordem de selecção:

  1. Os Especialistas em Medicina Tradicional Chinesa e Acupunctores com a formação concluída e que ainda não puderam requerer a cédula.
  2. Estudantes do 4º ano ou seguintes de instituições de formação na área da Acupunctura, Medicina Tradicional Chinesa, consideradas idóneas pelo Conselho Científico da Acção.

O número máximo de inscrições é de 28 alunos por acção (local).

Preço e Inscrições:

O Preço da acção é de 95 Euros (IVA Incluído).

As inscrições deverão ser efectuadas pelo preenchimento do formulário de inscrição, depois de efectuada a transferência para a conta com o IBAN PT50 0007 0000 0030 2816 5412 3 .

Justificação da Acção:

O entorse da articulação tíbio-társica (ETT) é a patologia traumática mais frequente na população activas e tem uma prevalência de pelo menos 30% em praticantes desportivos em Portugal.

A ETT para além de ser uma lesão muito frequente, é altamente incapacitante do processo de treino e da competição, pelo que interfere fortemente com o processo de treino dos praticantes desportivos de alto rendimento. A redução do tempo de inactividade é um dos factores a ter em conta desde que não comprometa a recuperação completa.

Outro aspecto a ter em conta no ETT é o facto de haver recidivas muito frequentemente, chegando a afectar quase 3 em cada quatro sujeitos que já tiveram uma entorse desta articulação.

Para além dos aspectos do tratamento da lesão através dos procedimentos que levam à diminuição do edema, à recuperação dos tecidos afectados e ao reposicionamento das estruturas, bem como à recuperação da função, os aspectos de reeducação da marcha e da corrida são outro dos factores a levar em consideração e que farão parte do programa da acção de formação.

Objectivos:

No Final da acção, o formando deverá ser capaz de cumprir os seguintes objectivos:

  1. Identificar o tipo e grau do ETT.
  2. Conhecer e Identificar os critérios de suspeita de fractura (regras de Ottawa) e necessidade de encaminhamento médico para avaliação de Rx.
  3. Conhecer e saber aplicar as técnicas manipulativas da MTC para o ETT.
  4. Conhecer e Aplicar os tratamentos de fitoterápicos externos e internos adequados ao ETT.
  5. Conhecer e Aplicar os tratamentos de Acupunctura e Moxabustão adequados ao ETT.
  6. Conhecer e Aplicar os tratamentos de Tui Na adequados ao ETT.
  7. Conhecer e identificar os desequilíbrios posturais que potenciem o risco de recurrência da ETT.
  8. Conhecer e Aplicar os exercícios de reeducação da marcha e da corrida para melhoria da propriocepção da marcha/corrida.

Metodologia:

Tratando-se de uma acção cujos objectivos são fundamentalmente da transmissão de competências, será efectuada uma revisão dos conceitos básicos de anatomofisiologia, topografia de canais e pontos de acupunctura, e ainda da análise biomecânica associada à marcha e à corrida.

Por outro lado serão efectuados os exercícios práticos de avaliação e de mobilização da articulação, produção e aplicação de compressas, fitoterápicos externos e internos, formas de avaliação dos desequilíbrios implicados na estabilidade da articulação do tornozelo e propostas de exercícios para prevenção das recidivas da lesão.

Os formandos terão disponíveis uma plataforma de ensino à distância, onde poderão colocar questões e obter o material didáctico preparado para a acção.

O programa resumido da acção pode ser consultado aqui

Formador:

Fernando Barros:

Fernando Jorge Fortunato da Silva Barros é Especialista em Medicina Tradicional Chinesa há 15 anos.

Começou o seu percurso com uma tutoria de 6 anos com o Mestre Yoshishige Okai no Okai Shiatsu Center do Porto onde se familiarizou com as técnicas japonesas de manipulação (shiatsu e seitai), moxibustão e acupunctura.

É Licenciado em Educação Física e Desporto pela UTAD, e Mestre em Medicina Tradicional Chinesa pelo ICBAS – UP.

É proprietário e director clínico da Clinica Sinensis.

Tem um particular gosto e competência pelas técnicas de intervenção manuais no âmbito da Medicina Chinesa.

 

António Moreira:

António Manuel da Silva Moreira, é Prof. Adjunto no Instituto Politécnico de Santarém

Especialista em Medicina Tradicional Chinesa -pelo ICBAS -UP.

Tendo frequentado diversas formações em Acupunctura/Med. Tradicional Chinesa das quais se destacam as formações do Instituto Van Nhgi de Portugal e a especialização em Dermatologia Integrativa pela Fundação Europeia de MTC, em Barcelona.

É Doutorado em Ciências do Desporto, pela UTAD, Mestre em Treino Desportivo de Alto Rendimento pela FMH –  UTL e Licenciado em Educação Física e Desporto, pelo ISEF/FMH.

É proprietário da Tian Di Ren, Clínica de Medicina Chinesa, lda

Tem particular interesse no tratamento da patologia músculo-esquelética associada à actividade física e desportiva.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Partilhe

Partilhe esta publicação com os seus amigos!