AVC e a Medicina Tradicional Chinesa

Já teve um AVC ou conhece alguém que já tenha tido?

O AVC (acidente vascular cerebral) é vulgarmente designado por derrame cerebral, e é caracterizado pela perda rápida da função neurológica, decorrente do entupimento ou rompimento de vasos sanguíneos no cérebro.

O AVC é uma doença que não apresenta nenhum sintoma recorrente, sendo súbita (pode apresentar paralisação ou dificuldade de movimentação dos membros de um mesmo lado do corpo, dificuldade na fala ou articulação das palavras) e muitas vezes mortal. Quando os doentes não são atendidos atempadamente podem ficar com sequelas bastante graves.

Existem 2 tipos de AVC, sendo eles:

  • AVC Isquémico – é o tipo de AVC mais comum, e apresenta cerca de 80% dos casos. Ocorre pela falta de fluxo sanguíneo cerebral, levando ao sofrimento e enfarte do parênquima do sistema nervoso. Essa queda de fluxo pode ser decorrente de:
    • Obstrução arterial;
    • Queda da pressão arterial;
    • Obstrução na drenagem do sangue venoso (causando dificuldade na entrada de sangue arterial no cérebro)
  • AVC Hemorrágico – Ocorre pela rutura de um vaso sanguíneo intracraniano. O sangue em contato com o parênquima nervoso tem ação irritativa. Além disso, a inflamação e o efeito de massa ou pressão exercida pelo coágulo de sangue no tecido nervoso prejudica e degenera o cérebro e a função cerebral.

O diagnóstico do AVC é clínico, ou seja, é feito pela história e exame físico do paciente. Os principais sintomas são:

  • Dificuldade de mover o rosto;
  • Dificuldade em movimentar os braços adequadamente;
  • Dificuldade de falar e se expressar;
  • Fraqueza nas pernas;
  • Problemas de visão

Embora não exista uma causa específica para ter um AVC, existem diversos fatores de risco, dos quais salientamos:

  • Hipertensão;
  • Doença Cardíaca;
  • Colesterol;
  • Tabagismo;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Diabetes;
  • Obesidade;

AVC e a Medicina Ocidental

É importante que em caso de AVC, chame logo o INEM ou que leva o utente para o hospital de modo a que seja imediatamente socorrido (pois tal como dissemos um AVC se não for tratado de imediato pode deixar sequelas e em última instância pode mesmo matar).

Após a alta hospitalar, é aconselhado que comece logo os tratamentos das sequelas recorrendo às técnicas de medicina tradicional chinesa, uma vez que a eficácia dos mesmos estão interligadas com a rapidez de actuação.

AVC e a medicina tradicional Chinesa

A Medicina Tradicional Chinesa embora não possa curar um AVC, é uma ótima opção para quem teve um, pois permite melhorias significativas nas sequelas que advém de um, seja na recuperação da função motora e sensitiva, seja na recuperação dos problemas associados à linguagem. A eficácia da medicina chinesa no tratamento destas patologias já se encontra unanimemente reconhecida pela própria medicina ocidental.

Através da realização de sessões de acupuntura, fitoterapia e massagens Tui Na e em função da gravidade e severidade dos sintomas será construído um plano de tratamentos com o número de sessões adequado e que será reavaliado sempre que necessário.

A forma como a MTC efetua o diagnóstico é também uma boa forma de avaliar a presença de factores de risco diferentes do diagnóstico ocidental, que poderão ser determinantes no aconselhamento de um estilo de vida mais saudável e que permita uma prevenção eficaz.

Para além disso a MTC também pode ajudar na intervenção aguda do AVC.

Se teve um AVC, ou conhece alguém que se encontra nesta situação, entre em contacto connosco para o número 243997479 ou por email: geral@tiandiren.pt, pois podemos ajuda-lo a ultrapassar os efeitos nefastos desta doença.

Em caso de não se poder deslocar às nossas instalações (embora as mesmas estejam dotadas da capacidade de receber doente em transporte de ambulância) nós prestamos tratamentos ao domicílio.