A depressão e a medicina tradicional chinesa

Sabia que há mais de 121 milhões de pessoas com depressão em todo o mundo e dos quais 20% são adolescentes?

A depressão é uma perturbação na qual são experienciadas emoções de angústia, tristeza, frustração, desânimo, desmotivação…, e que são resultantes na grande maioria dos casos de experiências traumáticas vividas no passado, das quais ainda não nos conseguimos libertar.

Já foi cientificamente provado que a depressão é uma doença, pois existem uma serie de evidências que demonstram alterações químicas no cérebro das pessoas que sofrem desta patologia (principalmente ao nível da serotonina, noradrenalina e, dopamina).

Ao contrário do que a maioria de nós pensa, os fatores psicológicos e sociais são uma grande parte das vezes consequência da depressão, e não a sua causa. É importante salientar que o stress (independentemente do motivo do mesmo) pode precipitar a depressão nas pessoas que já tenham predisposição genética para tal.

De acordo com vários estudo realizados, a prevalência da depressão é estimada em 19% da população mundial, ou seja, 1 em cada 5 pessoa, sofre de depressão em algum momento da vida (é importante esclarecer desde já, que o facto de sentir um tristeza profunda não é sinal de depressão, pois a tristeza faz parte da vivência de todos nós).

Embora cada pessoa possa apresentar diferentes sintomas de depressão, existem alguns que são os mais verificados, sendo eles:

  • Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia
  • Desânimo ou cansaço
  • Diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis
  • Desinteresse, falta de motivação e apatia
  • Falta de vontade e indecisão
  • Sentimentos de medo e insegurança, desesperança
  • Desejar morrer, planear uma maneira de o fazer ou realizar uma tentativa de suicídio
  • Interpretação distorcida e negativa da realidade
  • Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento
  • Dores e outros sintomas físicos não justificados por problemas médicos

A depressão e a medicina ocidental

A Medicina Convencional apenas elimina os sintomas mais comuns da depressão através de antidepressivos, tais como o Prozac © e © Zoloft. É obvio que admitimos que eles trazerem alívio para milhões de pacientes, no entanto têm efeitos colaterais desagradáveis ou inaceitáveis para muitos pacientes. Além disso, estes medicamentos não curam a depressão, e poucos pacientes apreciam a ideia de permanecer com essa medicação a vida toda.

Para a Medicina Ocidental ainda não existe uma causa específica para a depressão, uma vez que a mesma é entendida como o resultado da conjugação com vários fatores de origem genética, bioquímica e psicológica

Algumas doenças também podem estar na origem de crises depressivas, tal como o uso prolongado de medicamentos.

A depressão e a Medicina Tradicional Chinesa

Para a medicina tradicional chinesa não existe uma separação entre as doenças do foro mental/ psicológico e as doenças do foro físico, pelo que a depressão é causada por um desequilíbrio energético que não está obrigatoriamente relacionado com o funcionamento do cérebro.
Na medicina chinesa, há seis padrões principais de depressão. Quando um paciente chega a um acupunctor ou terapeuta de medicina tradicional chinesa com queixa de depressão, o terapeuta vai primeiro decidir qual destes seis padrões ou quais combinações desses padrões o paciente apresenta.

A medicina tradicional chinesa tem tratado a depressão com sucesso há mais de 2000 anos, com várias combinações de acupuntura, fitoterapia, alimentação e por vezes modificação do estilo de vida (todos adaptados ao padrão de desequilíbrio da própria pessoa).

Além disso, o tratamento de medicina tradicional chinesa para a depressão não visa apenas aliviar os sintomas da depressão, mas visa encontrar e eliminar a causa da doença.
Em muitos casos, é possível combinar os tratamentos da medicina ocidental e tradicional chinesa sendo essa combinação a maneira melhor e mais rápida de tratar a depressão.

A medicina tradicional chinesa, incluindo a acupuntura, pode ser usada para diminuir ou eliminar os efeitos colaterais dos antidepressivos ocidentais, enquanto uma certa quantidade de psicoterapia pode ajudar o tratamento da MTC a evoluir mais rapidamente.

Se está atualmente a tomar antidepressivos e quiser deixá-los usando a medicina tradicional chinesa deve discutir este assunto com o seu médico e elaborar um cronograma de desmame em conjunto com a acupuntura. E se conhecer alguém que sofra desta patologia diga-lhe que existe esta oportunidade, e que não faz mal em tentar, até porque vários estudos sobre os efeitos da acupuntura no tratamento da depressão demonstraram que a acupuntura é pelo menos tão eficaz como o uso de medicamentos ou da psicoterapia e sem efeitos colaterais!

Por isso se está neste momento a sofrer de depressão ou se conhecer quem esteja, não passe por este problema sozinho, contacte-nos que ajudamos a arranjar uma alternativa.

Qualquer dúvida ou questão: 243997479 ou por email: geral@tiandiren.pt