Enjoos e a medicina tradicional chinesa

As náuseas mais conhecidas como enjoos, são uma desagradável sensação de vontade de vomitar. Geralmente é sentida na parte superior do abdómen, e a sua intensidade é variável, terminando ou não em vómito (é a expulsão forçada pela boca do conteúdo do estômago, podendo haver eliminação de alimentos ainda não digeridos, já digeridos ou apenas de secreções produzidas pelo corpo para possibilitar a digestão (saliva, suco gástrico, suco pancreático, bile).

É muito importante diferenciar vómito de regurgitação, sendo que esta última é o retorno não forçado de material do esófago, estômago ou porção inicial do intestino, sem esforço ou contração de músculos da barriga ou tórax, e geralmente não associado aos enjoos. É o que frequentemente ocorre com bebés nos primeiros meses e em adultos com queixa de azia (refluxo gastro esofágico).

As causas dos enjoos e vómitos são muito variadas, sendo a maioria é causada por alterações que ocorrem diretamente no estômago ou intestino, mas certas situações envolvendo outros órgãos também causam esses sintomas. Podemos por isso salientar:

  • Gravidez;
  • Balançar dos barcos;
  • Doença de foro auditivo;
  • Enxaquecas;
  • Doenças ou infeções no cérebro;
  • Enfarte do miocárdio;
  • Insuficiência Renal;
  • Alguns tipos de medicamentos;

Entre os medicamentos mais conhecidos por causar enjoos e vómitos de forte intensidade estão os medicamentos usados para o tratamento do cancro (quimioterapia). Nesses casos a náusea e o vómito ocorrem por um estímulo diretamente no cérebro, que é quem coordena a sensação de náusea e inibe ou estimula o vómito.

Além da sensação de enjoo, costuma-se sentir um mal-estar generalizado, falta de vontade de comer, vontade de ficar parado e, em alguns casos, o paciente prefere ficar numa posição específica, deitado ou sentado para se sentir melhor.

Geralmente existem outros sintomas associados aos enjoos que variam conforme a causa. Nas infeções gastrointestinais causadas por vírus ou bactérias, podem ocorrer simultaneamente ou em sequência, dor e distensão abdominal e diarreia.

Cada uma das outras causas de enjoo são acompanhadas de sintomas próprios da doença e é importante que sejam descritos para o médico para que a causa possa ser descoberta e tratada.

A maioria dos episódios de enjoos, com ou sem vómitos, melhora espontaneamente em poucas horas ou poucos dias. Enquanto permanecer o quadro é muito importante que se mantenha hidratado. Adultos, e principalmente crianças e idosos, devem ser estimulados a manter uma abundante ingestão de líquidos (água, sopa, sumos naturais) para prevenir a desidratação.

Enjoos e a medicina tradicional chinesa

Para a Medicina Tradicional Chinesa, os enjoos traduzem-se por um desequilíbrio no organismo. Esse desiquílibro pode ter origem essencialmente em duas situações ao uma dificuldade em fazer descer, ou um excesso naquilo que deve fazer subir ou as duas coisas. Embora possa parecer estranho a interpretação á luz destes conceitos o controlo das náuseas ou vómitos através da abordagem da Medicina Chinesa, é amplamente reconhecido pela ciência ocidental, e principalmente pelos pacientes que recorrem aos nossos tratamentos.

É muito importante que à luz da ciência milenar da medicina chinesa, seja efetuado um diagnóstico ao paciente que sofre de enjoos, de forma a verificar-se qual o melhor tratamento a ser aplicado.

Uma vez que cada caso de enjoos é único e depende de diversos fatores, é esse diagnóstico que vai identificar a forma de se realizar um tratamento adequado. O mesmo pode ser realizado através de acupuntura capaz de controlar, na maioria dos casos, os sintomas de forma imediata, fitoterapia, moxabustão, alteração de hábitos alimentares e mudança de rotina.

Se sofre de enjoos ou vómitos frequentemente ou qualquer patologia associada, e se conhece alguém que sofre da mesma, não espere mais. A Medicina Chinesa poderá ajudar no seu tratamento. Solicite-nos um contacto para o nº 243997479 ou por email: geral@tiandiren.pt.