A esclerose múltipla e a Medicina tradicional Chinesa

Sabia que a esclerose múltipla afeta mais mulheres do que homens e que surge entre os 20 e os 40 anos?

A esclerose múltipla é uma doença autoimune que afeta o cérebro e a medula espinhal (sistema nervoso central). Isso acontece porque o sistema imunológico do corpo confunde as células saudáveis com “intrusas”, e acaba por atacá-las provocando lesões no cérebro. Desta forma o sistema imune do paciente corrói a bainha protetora que cobre os nervos (mielina).

Os danos à mielina causam interferência na comunicação entre o cérebro, medula espinhal e outras áreas do corpo. Esta condição pode resultar na deterioração dos próprios nervos, através de um processo irreversível.

Ao longo do tempo, a degeneração da mielina provocada pela doença vai causando lesões no cérebro, que podem levar à atrofia ou perda de massa cerebral. Geralmente, pacientes com esclerose múltipla apresentam perda de volume cerebral cinco vezes superiores ao normal.

A esclerose múltipla atinge cerca de 2,5 milhões de pessoas no mundo. É uma doença sem cura, mas os tratamentos podem ajudar a controlar os sintomas e reduzir o progresso da doença.

A esclerose múltipla pode evoluir em 4 fases distintas, sendo elas:

  • Forma recidivante-remitente – Ocorrem ataques que duram entre poucos dias a semanas, seguidos de uma recuperação;
  • Forma secundariamente progressiva – Os défices se vão acumulando após cada ataque;
  • Forma primariamente progressiva – Evolui desde o início sem separação entre ataques e períodos sem ataques;
  • Forma remitente-progressiva – onde a doença progride de modo evidente desde o início mas onde podem ocorrer períodos livres de sintomas.

Embora não sejam ainda conhecidas as causas associadas à esclerose múltipla, existem diversos sintomas conhecidos. Salientamos os seguintes:

  • Cansaço;
  • Perda cognitiva;
  • Alterações de humor;
  • Espasmos musculares;
  • Dor;
  • Incontinência;
  • Visão dupla;
  • Perda de força;
  • Falta de equilíbrio;

Existem também alguns fatores de risco que devem ser tidos em consideração, no desenvolvimento desta patologia:

  • Idade: A esclerose múltipla pode ocorrer em qualquer idade, mas mais é mais comum afetar as pessoas entre os 20 e os 40 anos. Nessa faixa etária são feitos 70% dos diagnósticos;
  • Género: As mulheres são mais propícias que os homens a desenvolver a esclerose múltipla
  • Etnia: Os caucasianos, em especial aqueles cujas famílias se originam do norte da Europa, estão em maior risco de desenvolver esclerose múltipla. As pessoas de ascendência asiática, africana ou americana tem menor risco
  • Outras doenças autoimunes: Pode ser mais propenso a desenvolver esclerose múltipla se tiver outra doença que afeta o sistema imunitário (distúrbios da tiroide, diabetes tipo 1 ou doença inflamatória intestinal).

A esclerose múltipla e a Medicina Tradicional Chinesa

Desde de muito cedo que a Medicina Chinesa refere a existência de doenças do tipo auto-imune, explicando o mecanismo destas doenças como uma desregulação do que na Medicina Chinesa se designa por energia Wei e que grosso modo pode ser entendido comparativamente com o conceito de sistema imunitário na Medicina Ocidental.

Esta desregulação afectará por isso e progressivamente todo os órgãos e sistemas, e estão muitas vezes associados a situações que por uma ou outra razão tiveram um impacto emocional negativo.

Os sintomas e a progressão do declínio das funções variam de forma distinta de paciente para paciente, não só devido a níveis de estruturação cerebral anteriores à manifestação da patologia, mas também devido a diferentes características da personalidade dos doentes com Esclerose Múltipla.

Antes de ser atribuído algum tipo de tratamento, é necessário realizar o diagnóstico que vai permitir aos especialista em medicina chinesa verificar quais as causas da doença, assim como a fase em que a mesma se encontra.

Embora desconhecendo as causas da doença sabemos que se trata de uma doença autoimune, e embora sendo difícil de tratar a Medicina chinesa pode retardar os sintomas e proporcionar ao paciente uma vida normal, sem dores.

As técnicas que podem ser utilizadas são acupuntura, massagens tui na e fitoterapia, podendo as mesmas serem aplicadas em separado ou em simultâneo.

Se sofre de esclerose múltipla ou se conhece alguém que sofre desta patologia, não espere mais. A Medicina Chinesa poderá ajudar no tratamento dos sintomas da mesma. Solicite-nos um contacto para o nº 243997479 ou por email: geral@tiandiren.pt