Herpes Zóster e a Medicina Tradicional Chinesa

O Herpes zóster é uma infeção viral que provoca bolhas na pele e geralmente é acompanhada por uma dor intensa. Ela pode atacar qualquer parte do corpo, mas é mais frequente no tronco e no rosto, evidenciando-se como uma faixa de bolhas apenas um dos lados do corpo.

O herpes zóster é também conhecido por Zona ou cobrão devido ao padrão em zig-zag que forma no corpo.

Esta patologia é causada pelo vírus varicela zoster e apenas surge em pessoas que padeceram de varicela em algo momento da vida e ficaram com o mesmo latente nos gânglios do corpo. Posteriormente esse vírus pode voltar a manifestar-se na forma de herpes zóster.

Embora não seja uma condição que coloque risco de vida, o herpes zoster pode ser muito doloroso.

Tal como indicado anteriormente, a sua principal causa é o vírus da varicela ter ficado alojado em gânglios próximos ao sistema nervoso e permanecendo latente por anos. Eventualmente ele pode reativar-se e “percorrer” as vias nervosas acabando por gerar erupções na pele de pequenas bolhas muito próximas.

A razão para a ocorrência do herpes zóster é clara. Pode ser devido à baixa imunidade uma vez que ele é mais comum em idosos e pessoas com sistemas imunológicos debilitados.

Embora exista uma vacina, a sua eficácia está longe de níveis que permitam consensos na medicina alopática, pelo que nem sempre o sue uso é aconselhado.

O vírus que causa a varicela e o herpes zoster não é o mesmo vírus responsável pelo herpes labial ou genital. São vírus de famílias diferentes, tendo em comum apenas o nome herpes.

Embora por norma não seja uma doença contagiosa, pode ocorrer que pessoas que nunca tenham tido varicela se entrarem em contacto com a zona infetada podem desenvolver esta patologia.

Existem poucos fatores de risco, no entanto quem já teve varicela pode desenvolver herpes zoster. Os fatores que podem aumentar o risco de aparecimento do mesmo incluem:

  • Idade, quanto maior a idade maior é o risco
  • Doenças que debilitam o sistema imunológico, tais como sida e cancro
  • Tratamentos para o cancro
  • Medicamentos contínuos que reduzem a imunidade

Os principais sintomas desta patologia são:

  • Dor
  • Ardor e sensação de cócegas e/ou formigueiro na área em torno dos nervos afetados
  • Calafrios
  • Distúrbios gastrointestinais.

 

Para a medicina ocidental não existe cura para esta tipologia, mas o tratamento pode reduzir a duração da doença e prevenir complicações.

Assim sendo, sempre que o diagnóstico seja feito, o médico inicia o tratamento com medicamentos antivirais. Se o tratamento for iniciado imediatamente após o início dos sintomas (lesões), existe uma menor probabilidade de desenvolver complicações.

Os tratamentos mais comuns são:

  • Medicamentos antivirais, para reduzir a dor e a duração das lesões
  • Medicamentos para a dor, para ajudar a reduzir a dor durante a duração da doença
  • Prevenção das infeções secundárias das lesões da pele
  • Banhos frios ou frescos e fazer compressas húmidas na região das lesões podem ajudar a aliviar a comichão e a dor.

Se a dor insistir por mais de um mês após o desaparecimento das lesões, o médico pode diagnosticar a neuralgia pós-herpética, que é a complicação mais comum do herpes zóster. Nesses casos podem ser prescritos alguns tratamentos específicos, dependendo da gravidade do caso.

Herpes Zóster e a Medicina Tradicional Chinesa

Para a medicina Tradicional chinesa o herpes zóster é causado por uma deficiência energética e por desequilíbrios de excesso de calor no sangue e excesso de energia tóxica na pele. Uma vez que cada caso é único, os tratamentos aplicados podem não ser iguais para todos os clientes.

Por norma são aplicados tratamentos à base de acupuntura (pois apresentam resultados bastante interessantes, proporcionando uma rápida recuperação dos pacientes, e uma rápida redução da dor, regressão das lesões e aumento da imunidade).

Numa fase aguda a acupunctura pode ajudar imenso no alívio da dor e desaparecimento dos sintomas, evitando o consumo excessivo de medicamentos com potenciais efeitos secundários, como por exemplo os opiáceos usados muitas vezes para o controlo da dor

A Fitoterapia é uma opção segura e eficaz quer para o aumento da imunidade e por consequência o evitar de recaídas, quer para eliminar os sinais da doença, nomeadamente o calor, rubor e edema associadas às zonas afectadas. Por seu lado a Moxibustão tem um efeito muito interessante na eliminação de um dos sintomas mais incomodativos, a comichão, tecnicamente conhecida por prurido.

Se sofre de herpes zóster, ou conhece alguém que tenha esta patologia, não hesite em fala connosco pois poderemos ajudar no alivio da dor.