Transtorno de deficit de atenção com hiperatividade

Sabia que o deficit de atenção e a hiperatividade podem estar relacionados?

Cada vez mais as crianças sofrem de hiperatividade e de deficit de atenção, mas muitos dos pais não sabem ao certo o motivo. Vários estudos, indicam que ambas as patologias podem estar relacionadas.

O Transtorno do Deficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. É maioritariamente caracterizada por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Esta patologia é também em muitos casos designada de DDA (Distúrbio do Deficit de Atenção).

Este é o transtorno mais comum nas crianças e adolescentes, e de acordo com diversos estudos ocorre em 3 a 5% das crianças. Na maioria dos casos (mais de metade dos casos) o transtorno acompanha o indivíduo na vida adulta, embora os sintomas de inquietude sejam mais brandos.

Assim sendo o Deficit de Atenção com hiperatividade é uma condição física que se caracteriza pelo subdesenvolvimento e mau funcionamento de certas partes do cérebro, nomeadamente:

  • Lobos Frontais
  • Corpo Caloso
  • Gânglios da Base ou Núcleos da Base
  • Cerebelo
  • Sistema Dopaminérgico – Falta de e/ou Recaptação Precoce da Dopamina
  • Sistema Noradrenérgico – Falta de e/ou Recaptação Precoce da Noradrenalina

Embora este seja ainda um assunto bastante debatido, existem inúmeras causas que estão associadas ao TDAH, sendo as principais:

  • Hereditariedade (Os genes parecem ser responsáveis não pelo transtorno em si, mas por uma predisposição ao TDAH);
  • Substâncias ingeridas na gravidez (nicotina e o álcool quando ingeridos em grandes quantidades durante a gravidez podem causar alterações em algumas partes do cérebro do bebê);
  • Sofrimento do feto (por exemplo através de problemas no parto);
  • Exposição a chumbo;
  • Problemas familiares (podem agravar o quadro e a predisposição da patologia, mas no entanto não são uma causa);
  • Deficiências vitamínicas;
  • Deficiências hormonais;

Em relação à percentagem entre os sexos, parece não existir um consenso, dado que alguns estudos apontam para 80% do sexo masculino e 20%, outros apontam para que seja uma percentagem igual entre ambos os sexos.

No entanto a maioria das crianças, adolescentes e adultos com Deficit de Atenção com hiperatividade têm outro tipo de desordem em simultâneo a que se dá o nome de coexistências.

As desordens que normalmente coexistem com o Deficit de Atenção são:

  • Comportamento perturbador, destabilizador e/ou desafiante
  • Doença Bipolar
  • Depressão
  • Ansiedade
  • Dependência de Álcool ou Drogas
  • Dificuldades de Aprendizagem
  • Síndroma de Tourette

Para a medicina ocidental o Tratamento do TDAH deve ser multimodal, ou seja, uma combinação de medicamentos, orientação aos pais e professores, além de técnicas específicas que são ensinadas ao portador. A medicação, na maioria dos casos, faz parte do tratamento (e numa grande maioria dos casos estes tratamentos são prolongados por anos), mas esta não é consensual.

O tratamento mais utilizado para esta patologia é a ritalina (estimulante leve do sistema nervoso central) que é utilizada em excesso para tratar estas patologias em Portugal e no mundo. Basicamente, cada vez que uma criança ou adolescente é diagnosticado com deficit de atenção e hiperatividade, o tratamento é efetuado tendo por base este medicamento, no entanto o mesmo tem inúmeros efeitos secundários nas crianças (e ainda hoje se estuda esta questão).

Assim sendo, muitos médicos vêem na ritalina a “cura para todos os males”, e acabam por prescrevê-los aos doentes, muitas vezes sobrevalorizando os sintomas presentes o que leva inúmeras vezes a que aquilo que pode ser apenas uma gestão incorreta do ambiente familiar, em que os pais são demasiado permissivos e ambíguos, ou uma dificuldade de concentração da criança.

É preciso notar que os critérios de diagnóstico desta patologia são apenas clínicos não estando baseada em dados de exames objectivos, pelo que o poder discricionário do clínico ganha especial relevância.

A medicina chinesa e o transtorno de deficit de atenção com hiperatividade

Para a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a criança hiperativa possui um descontrolo do yang o que origina uma aceleração do pensamento e da acção. Isso ocorre tanto na hiperatividade do comportamento como na compreensão de seu meio.

A medicina tradicional chinesa, é em grande parte um ótimo aliado da medicina convencional para ajudar a tratar os casos de deficit de atenção e de hiperatividade. Uma vez que cada caso é um caso, é necessário conhecer a criança e fazer um diagnóstico sobre as terapias que podem ser aplicadas.

A acupuntura, é sem qualquer sobre de dúvida um dos tratamentos mais utilizados (pois permite aliviar os pontos de pressão que podem estar a aumentar as patologias descritas). É também muito utilizado técnicas de fitoterapia, massagens tui na e reeducação alimentar (pois existem alimentos que podem ajudar a acalmar os sintomas).

Atualmente têm sido também realizados estudos que mostram que a prática do qi gong (exercício que melhora a energia interna) tem ótimos resultados na melhoria da atenção, sendo o mesmo fácil de ser realizado.

No entanto, como cada caso é um caso, se o seu filho sobre de déficit de atenção ou de hiperatividade, não hesite em contactar-nos, pois poderem ajudar e reduzir a terapia medicamentosa administrada.