YIN YANG – Equilíbrio ou Desequilíbrio?

Yin Yang é um princípio da filosofia chinesa e entendido como forças opostas, a dualidade natural de todo o universo. A filosofia chinesa pauta-se basicamente sobre a necessidade de interpretar qualquer realidade e, consequentemente, todo o universo a partir de um sistema dual em perfeita oposição, usando assim o Yin e o Yang como um sistema de classificação. O Yin Yang é assim uma doutrina que permite explicar o mundo nas suas múltiplas dimensões como uma luta de contrários, sendo os desequilíbrios e as contradições geradores do progresso e não a harmonia e a concordância, como são muitas vezes “vendidas” em formações menos esclarecidas no Ocidente. São estas duas forças fundamentais, opostas e complementares que estão em todas as coisas.

Estes conceitos foram inicialmente descritos como o lado sombrio, Yin, e o lado ensolarado de uma montanha, Yang, dando assim a ideia ao mesmo tempo das características de cada um dos estados e como eles se vão transformando ao longo do ciclo; apenas para um determinado momento podemos dizer qual é o lado sombrio da montanha, pois passado alguns momentos esse lado pode já estar exposto ao sol, entretanto no aspecto contínuo, cada um dos lados terá sempre características de mais luz ou de sombra.

. Yin: A quietude, noturno, escuro, lua, terra, fogo e ar

. Yang: O movimento, diurno, luminoso, sol, luz, som, inicio

Os exemplos acima não incluem qualquer juízo de valor, e não há qualquer hierarquia entre eles. Referir-se a Yang como ativo apenas indica que ele tem mais movimento quando comparado com Yin, que sendo seu oposto terá menos movimento. Esta analogia é como a carga elétrica atribuída a protões e neutrões: os opostos complementam-se, positivo não é bom ou mau, é apenas o oposto complementar do negativo.

São inúmeras as interpretações e descrições feitas, por diversos autores, sobre Yin Yang, todavia o objetivo dessas narrativas resumem-se na ideia de,  representativamente, esclarecer e fortalecer a visão sobre as características opostas que se traduzem em complementares, geradoras do equilíbrio.

Todo e qualquer elemento da natureza possui uma energia oposta complementar, imprescindível à sua existência. Desta forma é possível percebermos que nada existe em seu estado puro e que o universo, assim como nossos corpos, se encontram em contínua transformação. É importante observarmos que qualquer conceito pode ser analisado como seu oposto quando apreciado por distinto ponto de vista. Estas duas
forças, Yin Yang, seriam a fase seguinte do “Tao”;, princípio gerador de todas as coisas, de onde se originam e para onde se destinam.

Para a Medicina Chinesa o processo do funcionamento do corpo humano usa inicialmente este conceito para explicar os seus constituintes e a forma como estes se relacionam.

Se o Yin e o Yang cumprirem a sua função acontece a saúde, se não cumprirem haverá a doença.

De certa forma estes conceitos são utilizados como uma das teorias de base, da matriz explicativa do funcionamento do corpo humano, cabendo ao especialista de Medicina Chinesa usá-los para formar o seu pensamento. As decisões clínicas, no entanto, são fundamentadas por meio das avaliações clínicas e análise de todos os relatos que os clínicos de Medicina Chinesa fizeram e não do Yin Yang em si mesmo.

A manutenção ou recuperação de um estado de saúde passa pelo processo de restauração natural das forças Yin Yang, conduzindo a um relacionamento apropriado de equilíbrio, onde todos os aspectos e funções do corpo humano adquirem harmonia.